Mônica vai ganhar um pet, mas será que pode?

Pra quem acompanhou nosso conteúdo sobre o Eduardo e Mônica, sabe que eles são os mais novos moradores do bairro Mont Serrat.

E para comemorar esse momento de mudanças e realizações, Eduardo está querendo adotar um cachorrinho para fazer uma surpresa para a Mônica.

Até aí tudo bem, um animal de estimação completa a vida a dois.

Mas bate aquela dúvida: será que eles podem ter um pet no apartamento deles? e será que o condomínio permite?

No conteúdo – Descomplica Comerlato – vamos ajudar o Eduardo e quem mais tiver com dúvida se pode ou não pode ter animal de estimação morando em condomínios.

Vem ver!!!

A primeira dica (e talvez a mais valiosa) para qualquer novo morador de um condomínio é: ler e entender o regimento interno do seu condomínio, tudo que foi resolvido através de votações nas assembléias até o momento.

É fato que quase 50% dos domicílios no Brasil tem algum animal de estimação. Observe seus vizinhos e converse com aqueles que tenham algum animal de estimação, certamente eles darão todas as informações sobre a relação dos animais com o condomínio.

MUITO MUITO IMPORTANTE: nenhuma decisão tomada em assembleia pode sobrepor à Lei, restringir que os condôminos tenham animais de estimação fere o direito de propriedade previsto no Artigo 1228 e seguintes do Código Civil e Art. 5º XXII da Constituição Federal.

Dessa forma a maioria das convenções e regimentos internos seguem a legislação, permitindo animais em condomínios, desde que os mesmos não causem transtorno à saúde, sossego e a segurança dos demais moradores do prédio.

Algumas normas aplicáveis e que não confrontam com o direito de propriedade de cada condômino, confere aí:

1️⃣ Exigir que os animais transitem pelos elevadores de serviço;

2️⃣ Exigir que os animais transitem no interior do prédio somente do elevador de serviço a rua, sem que possa andar livremente no prédio;

3️⃣ Proibir que circulem em áreas comuns sem os donos;

4️⃣ Indicar que no caso de um morador esteja com um animal no elevador aguarde o próximo (para não dar brigas entre os pets);

5️⃣ exigir a carteira de vacinação;

6️⃣ Circular somente de guia, e para as raças previstas em lei, focinheira.

A equipe de condomínios da Comerlato identificou que mais de 30% das reclamações entre vizinhos são relacionadas a animais de estimação. As reclamações mais comuns são:

➡ condução de animais nas áreas comuns sem guia;

➡ sujeira em áreas comuns;

➡ uso do elevador social com o animal e pessoas que deixam vários dias animais sozinhos.

Então Eduardo, é possível, sim, presentear a Mônica com o novo membro da família.

Vai aqui umas diquinhas para dar tudo certo com esse novo membro da família de vocês:

1️⃣ Alguns condomínios são pet friendly, ou seja disponibilizam um local específico para o lazer de cães e também para passear com eles;

Lembre-se: de sempre levar um saquinho para “resgatar” as fezes do seu pet. ok?

2️⃣ Outra boa opção para o condômino é contratar passeadores de cães e gatos, e assim evitar de atrapalhar o sossego dos vizinhos com latidos ou miados por estresse de confinamento;

3️⃣ Nunca esquecendo do bom senso! A melhor forma de conviver é sempre se colocar no lugar do outro.

E FICA UM ÚLTIMO ALERTA PARA O EDUARDO!

Ter um animal de estimação exige uma grande responsabilidade. Se vocês ficam o dia todo fora de casa e mal tem tempo pra dar uma atenção ao seu animalzinho, não arrisquem agora.

Ahhh! Parabéns pela iniciativa da adoção 😊

E você que leu nosso conteúdo! Como é a vida dos animais no seu condomínio?

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *