Como [não] escolher um corretor de imóveis.

Tá pensando em comprar um imóvel em Porto Alegre? Chega mais, este conteúdo foi feito especialmente pra ti!

Nesse Descomplica Comerlato nos inspiramos na experiência vivida pelo nosso cliente Rogério, que passou por alguns perrengues até chegar a nós e aqui encontrar o imóvel desejado.

Quem busca um imóvel para morar, investir ou abrir seu próprio negócio, acaba se deparando com uma série de sites, imobiliárias, corretores profissionais e até “falsos corretores”, que se dizem preparados para atender às necessidades dos clientes. É aí que as coisas acabam saindo fora do planejado.

As dúvidas são muitas na hora de comprar um imóvel, até porque não é a mesma coisa que comprar uma roupa numa loja descolada do Iguatemi, não é? E o Rogério acabou descobrindo isso só na hora que deu tudo errado quando ele foi fazer a compra de um imóvel dos sonhos, com profissionais totalmente despreparados.

Contar com alguém realmente disposto e interessado em te ajudar a resolver esse ótimo problema é o grande diferencial nesse momento. Apesar de ser um mercado extremamente competitivo, muitos profissionais ainda pecam em alguns pontos e deixam a desejar em itens essenciais como encontrar o imóvel dos sonhos para o seu cliente. Sem falar nos aventureiros que se infiltram no mercado imobiliário dizendo que são corretores.

Então, o Descomplica Comerlato pegou a experiência negativa do Rogério e trouxe dicas para te ajudar na hora de escolher (ou não) um corretor de imóveis. Confere aqui:

UMA PESSOA PRESTATIVA (DIFERENTE DE BAJULADORA):

O bom corretor vai saber entender não só as tuas necessidades, como também as particularidades dos imóveis que se encaixam no teu perfil. Uma das dicas do Rogério é prestar atenção à qualidade das perguntas que o corretor faz, se elas realmente direcionam ao entendimento do que tu estás procurando.

Ele tem que estar preparado para responder dúvidas como metragem, posição solar, valor do condomínio, se o imóvel é pet friendly, as possibilidades de reformas e as alterações na estrutura. É o básico né?

Conhecer e saber explicar as opções de financiamento, taxas de juros e prazos também é importante. Não adianta nada te falar apenas características técnicas e não ser capaz de ir além e te dizer os benefícios do lugar e como ele combina contigo.  

EMPATIA (NÃO É SIMPATIA):

O corretor não se importa com o motivo da compra ou venda? Não demonstra interesse em compreender as tuas necessidades? Te pressiona o tempo inteiro para fechar negócio ou nunca te dá retorno? Corre, que é cilada!

Imagem relacionada


Esse cara vai te oferecer tudo, menos aquilo que você está procurando.

Não dá muita atenção quando tu precisa de ajuda, não tem disponibilidade de horários para atender tuas necessidades? Foge! O bom corretor de imóveis não te importuna, mas está sempre às ordens para te auxiliar no que for preciso. Nunca te deixa no vácuo.

CONFIANÇA:

É importante que a relação com o teu corretor seja baseada em confiança mútua. Sentir que é ouvido com atenção e realmente compreendido é fundamental. Nesse ponto vale muito contar com a intuição e, claro, “um pé atrás” nunca é demais. Procure referências com outros clientes dele ou da imobiliária e, principalmente, confira se ele está devidamente registrado no conselho profissional.

O Rogério nos contou que tirou duas conclusões que servem de alerta para quem vai procurar um imóvel com ele:

  1. Tem muita gente dizendo que é corretor por aí, o que pode ser um risco gigantesco e tu entrar numa roubada. Corram desses caras! Ele nos disse que tem pencas deles por aí.
  1. O Rogério tinha a falsa ilusão de que se ele comprasse direto do proprietário, o valor seria menor, já que não teria comissão de corretagem. Isso nem sempre é vantajoso, pois o comprador perde a oportunidade de utilizar um intermediário para conseguir uma melhor proposta. Sem falar na responsabilidade profissional do corretor na intermediação. Com o apoio do corretor, ele acabou fechando um negócio por um valor ainda menor do que imaginava.

TRANSPARÊNCIA:

Os trâmites para a compra de um imóvel envolvem questões burocráticas e legais. Por isso, é muito importante que o corretor te oriente sobre todos os processos e te explique como será o passo a passo completo, antes mesmo de apresentar as opções. No caso do Rogério, os corretores ofereceram opções sem ao menos saberem se o imóvel estava quitado.

A compra de um imóvel é muito mais do que um “negócio fechado”. Envolve sonhos, expectativas e a vida de outras pessoas. O bom corretor precisa entender isso e mais ainda: fazer do teu sonho, a prioridade dele mesmo.  

O protagonista da negociação deve ser o cliente. Ao corretor cabe a missão de cuidar de cada detalhe do processo e intermediar a relação entre comprador e vendedor. Só assim o final vai ser “felizes para sempre”.

Ficou com alguma dúvida sobre como [não] escolher um corretor? Faça a tua pergunta aqui nos comentários que nós descomplicamos para ti!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *