BAIRRO BOM FIM PORTO ALEGRE

BOM FIM PORTO ALEGRE

Cultura, história, conexão e nostalgia no Bom Fim.

Vamos começar pedindo permissão para usar muito o “portoalegrês” e muito “gauchês” neste conteúdo, pois depois de estar no Bairro Bom Fim esse “dialeto” se torna irresistível. 💬

Conhece a expressão “Bairrista”? Os gaúchos tem muitas qualidades que definem essa expressão, um povo acolhedor, animado, trabalhador, que defende o que “é daqui”, o que “é nosso” e apresenta para todo mundo que vem “de fora” as coisas boas que temos aqui no Sul. 🤗

Nossa experiência dessa semana foi no Bom Fim. E tem bairro mais porto-alegrense que esse? 

Estamos falando de um bairro bastante acolhedor. Lá no “bonfa” tem uma atmosfera de muita diversidade e alegria além de uma fantástica sensação de pertencimento, porque todo mundo se sente “daqui” quando está “lá”. 🤔

Tudo no Bom Fim carrega as palavras “tradicional” ou “muito conhecido” antes do nome.

Topa viajar pelo Bom Fim conosco? ✈️

Redenção e o Brique

Na nossa busca por conexões e por dividir histórias conversamos com um expositor do Brique, o “briqueiro” Vinicius Gonçalves de Souza.

O Vinicius vive o brique desde que nasceu, na tradição que vem do seu tio, desde a fundação do mercado das pulgas, em 1978.

“O brique é um patrimônio histórico de Porto Alegre e a tradição é transmitida de geração em geração. Sempre foi um ponto de encontro e é multicultural, diversificado, é muito bacana trabalhar lá. Carrego muitas lembranças de quando criança, dentre elas acordar muito cedo, e ir me divertir no brique enquanto minha família trabalhava”. Conta Vinicius.

No sábado o espaço do brique se dedica para a comercialização de artesanatos e no domingo para antiguidades.

  

(fotos cedidas por Vinicius Gonçalves de Souza banca 54)

 

Bar Ocidente e Lancheria do Parque

Além do Brique da Redenção, o Bom Fim tem outros tradicionais pontos de encontro. Visitamos e pesquisamos sobre o Bar Ocidente e a Lancheria do Parque, que carregam mais de 30 anos de muitas histórias e construção de cultura em Porto Alegre.

Além de casa noturna, o Ocidente é também um espaço cultural com intensa agenda de shows, festas, peças teatrais e saraus literários. E ainda serve um delicioso e disputado almoço.

A Lancheria do Parque, ou melhor, a “Lanchera” é frequentada por moradores do bairro, que tem como rotina os cafés da manhã e da tarde lá. É também ponto de encontro de boêmios, artistas,  intelectuais e turistas. E é claro que experimentamos o suco servido no copo de liquidificador, até porque mesmo que você queira só um cafézinho (que é claro, vem no tradicional copo de vidro), o suco rouba a cena. 

Um cenário animado pelo ritmo do liquidificador, conversas entre amigos e o formato bem original com que os atendentes repassam os pedidos: no “grito”, sem anotar e muito menos digitar.

          

Ambiente do Bar Ocidente                                                                          Suco Lancheria do Parque

Nós também já temos uma tradição aqui! Gravar nossas experiências e compartilhar um vídeo com nossas percepções e sensações pelos bairros de Porto Alegre.

Então aumenta o som e sente o bairro Bom Fim de Porto Alegre no vídeo que preparamos da nossa passada por lá. 😃

SABIA QUE…

💭 O bairro Bom Fim já virou filme e se chama Filme Sobre um Bom Fim,  acessa o trailer e segue a página para acompanhar as exibições, o filme retrata o movimento jovem que ocorreu em Porto Alegre nos anos 80, descreve o bairro Bom Fim como o epicentro de uma transformação cultural fundamentada no surgimento do rock gaúcho, do cinema urbano, das experimentações na televisão e do teatro de rua.

💭 A Lancheria do Parque é protagonista de um “Curtas Gaúchos” da RBSTV, com o nome “Osvaldo Aranha, 1086 – Um dia na Lancheria do Parque”. Com direção de Guilherme Petry e roteiro de André Czarnobai Cardoso, o documentário conta as experiências de um dia inteiro na Lancheria onde um homem observa o funcionamento e os frequentadores de um dos mais clássicos estabelecimentos de Porto Alegre. Documenta a jornada pelo cotidiano de milhares de personagens porto-alegrenses.

💭 Apesar da atual diversidade de moradores, o bairro Bom Fim é símbolo da colonização judaica, que teve início no século XX e ainda hoje abriga as sinagogas, a Sociedade Hebraica, a Federação Israelita do RS, o Museu Nacional das Migrações Judaicas e o Centro Israelita Porto-Alegrense.

💭 O bairro conta com duas feiras Modelo: às terças pela manhã na Rua General João Telles (entre Osvaldo Aranha e Henrique Dias) e aos sábados à tarde na Rua Irmão José Otão (entre R. João Telles e R. Santo Antônio). Na terça encontramos uma senhora que não mora mais no bairro há 15 anos, porém continua frequentando a feira lá, por carregar as lembranças da sua infância.

💭 O escritor Moacir Scliar passou a infância no bairro Bom Fim.

Depois de ler esse conteúdo e assistir ao vídeo, estamos esperando que compartilhe conosco as tuas experiências nesse bairro, foto, vídeo, áudio, texto, sinal de fumaça…Vem! Compartilha conosco! 😍

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Um comentário sobre “BAIRRO BOM FIM PORTO ALEGRE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *